Menu
Angola: FMI projecta inflação de cerca de 14% até final de 2015

Angola: FMI projecta inflação de ce…

O mais recente relatório ...

Fitch baixa nota financeira de Angola para ‘B+‘

Fitch baixa nota financeira de Ango…

A Fitch - agência de nota...

Angola: Derrame de petróleo afecta meio ambiente e praias de Cabinda

Angola: Derrame de petróleo afecta …

A multinacional Chevron -...

Em Luanda vivem 122 milionários angolanos - diz estudo

Em Luanda vivem 122 milionários ang…

Em Luanda, a capital de A...

Aaron Hernandez condenado a prisão perpétua

Aaron Hernandez condenado a prisão …

O ex-jogador da equipa de...

Arranca julgamento de Aaron Hernández suspeito de matar dois cabo-verdianos

Arranca julgamento de Aaron Hernánd…

Teve início nesta quinta-...

Two Cape Verdeans Flying the Skies of America

Two Cape Verdeans Flying the Skies …

The Capeverdeans Mauricio...

Dois Cabo-verdianos pilotos da JetBlue

Dois Cabo-verdianos pilotos da JetB…

Os cabo-verdianos Mauríci...

Cabo Verde se absteve na votação para admissão da Palestina na Unesco

Cabo Verde se absteve na votação pa…

Dos membros da comunidade...

Barney Frank: Um grande defensor de Cabo Verde no Congresso americano anuncia retirada

Barney Frank: Um grande defensor de…

Com a decisão do represen...

Prev Next

Rede de transporte marítimo de Luanda serve 2 mil pessoas por dia

Rede de transporte marítimo de Luanda serve 2 mil pessoas por dia

As novas ligações marítimas entre os arredores e o centro de Luanda já servem 2.000 passageiros por dia estando em curso aquisição de novos meios, revelou hoje o ministro dos Transportes.

A informação foi avançada durante a inauguração, na presença do Presidente angolano José Eduardo dos Santos, dos novos terminais de Mussulo e Macoco, que integram esta ligação marítima em funcionamento desde 03 de Abril, neste caso na península de Mussulo, município de Belas, arredores de Luanda.
"O balanço é positivo, há uma procura superior à oferta nas horas de ponta, em relação à capacidade de transporte. Tanto é assim que o setor dos transportes está já no mercado a tentar reforçar a suas capacidades de transporte através da aquisição de mais meios de transporte de passageiros marítimos", apontou o ministro Augusto da Silva Tomás.
Informou ainda que está em curso a aquisição de quatro novas embarcações Espanha e mais uma ao Brasil.
Desde Abril que os dois catamarãs que estão ao serviço já transportaram mais de 80 mil passageiros entre o terminal de Kapossoka, em Morro Bento, distrito da Samba, e o terminal do porto de Luanda.
A média diária, de acordo com Augusto da Silva Tomás, cifra-se em 2.000 passageiros transportados, entrando agora ao serviço os dois terminais na península de Mussulo, que também envolveram a aquisição de dois ferryboats, cada um com capacidade para transportar 135 passageiros.
Os mais de 12.000 habitantes da península de Mussulo, que até há mais de vinte anos tinham uma ligação por ferryboat ao continente, recorriam até agora a canoas artesanais e pequenos barcos para fazer a travessia.
A primeira fase do projecto público de transporte marítimo na capital angolana, que conta com tarifa subsidiada pelo Estado, só ficará concluída com a abertura dos terminais de Benfica e Museu da Escravatura, todos a sul de Luanda.
Numa segunda fase, vão entrar em funcionamento os terminais da Corimba, sul de Luanda, e Cacuaco e Panguila, a norte da capital.
Augusto da Silva Tomás referiu anteriormente que esta nova alternativa de transporte de passageiros representa grandes vantagens para a população, por melhorar a qualidade de vida.
O forte congestionamento de trânsito automóvel em Luanda faz com que a maioria dos habitantes das zonas periféricas da cidade tenham de sair de casa, dependendo da sua localização, entre as quatro e cinco horas da manhã, para chegarem a tempo nos seus locais de trabalho.
"Esta alternativa de transporte de passageiro traz grandes vantagens", afirmou o governante angolano, acrescentando que a ligação entre Cacuaco e o porto de Luanda, que na hora de ponta pode durar mais de duas horas e com recurso a diferentes tipos de meios de transporte, poderá no futuro ser feito numa única viagem, de barco, "em cerca de meia hora ou 40 minutos".
Fonte: Lusa

back to top