Menu
Angola: FMI projecta inflação de cerca de 14% até final de 2015

Angola: FMI projecta inflação de ce…

O mais recente relatório ...

Fitch baixa nota financeira de Angola para ‘B+‘

Fitch baixa nota financeira de Ango…

A Fitch - agência de nota...

Angola: Derrame de petróleo afecta meio ambiente e praias de Cabinda

Angola: Derrame de petróleo afecta …

A multinacional Chevron -...

Em Luanda vivem 122 milionários angolanos - diz estudo

Em Luanda vivem 122 milionários ang…

Em Luanda, a capital de A...

Aaron Hernandez condenado a prisão perpétua

Aaron Hernandez condenado a prisão …

O ex-jogador da equipa de...

Arranca julgamento de Aaron Hernández suspeito de matar dois cabo-verdianos

Arranca julgamento de Aaron Hernánd…

Teve início nesta quinta-...

Two Cape Verdeans Flying the Skies of America

Two Cape Verdeans Flying the Skies …

The Capeverdeans Mauricio...

Dois Cabo-verdianos pilotos da JetBlue

Dois Cabo-verdianos pilotos da JetB…

Os cabo-verdianos Mauríci...

Cabo Verde se absteve na votação para admissão da Palestina na Unesco

Cabo Verde se absteve na votação pa…

Dos membros da comunidade...

Barney Frank: Um grande defensor de Cabo Verde no Congresso americano anuncia retirada

Barney Frank: Um grande defensor de…

Com a decisão do represen...

Prev Next

Hotel Hilton confere "alto valor acrescentado”

Hotel Hilton confere "alto valor acrescentado”

O primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria Neves, considerou, sexta-feira 6 de Junho, na ilha do Sal, que a construção do Hotel Hilton é um investimento importante para Cabo Verde e para a ilha, consentindo "alto valor acrescentado” ao turismo cabo-verdiano.

José Maria Neves fez estas considerações na cerimónia de lançamento da primeira pedra para a construção do primeiro Hotel Hilton em Cabo Verde e na África lusófona, uma “marca internacional de prestígio", que vai ficar situado  na Avenida dos Hotéis na Cidade de Santa Maria, ilha do Sal.
"Este é um grande momento para a ilha do Sal, Cabo Verde e para o turismo cabo-verdiano. À volta do turismo queremos desenvolver o país, diversificar a nossa economia, aproveitando tudo o que o turismo possa acrescentar a Cabo Verde", sublinhou.
Referindo que actualmente o país recebe cerca de 600 mil turistas por ano, o chefe do executivo destacou a dinâmica económica que isso proporciona, considerando mesmo que já está a estruturar o cluster do turismo.
"Falamos de um turismo de qualidade e de alto valor acrescentado. Para isso precisamos de hotéis de qualidade, de alto valor acrescentado e Hilton é, efectivamente, um desses hotéis, um dos pioneiros no mundo e em África. Tenho a certeza que depois do Hilton virão outros grandes hotéis, outras grandes marcas a Cabo Verde", ambicionou.   
Segundo José Maria Neves, há alguns anos que se vinha falando no Hotel Hilton na ilha do Sal e hoje, "o sonho concretizou-se", disse com satisfação, parafraseando o poeta "Deus quer, o homem sonha, a obra nasce".
"Espero que esta obra, que é um grande marco para o desenvolvimento do turismo cabo-verdiano, possa ser o maior sucesso no país, garantido pela qualidade, mas pela qualidade também da marca Hilton, patenteada no mundo inteiro", finalizou, congratulando-se com o facto de ser uma empresa nacional a construir este "grande empreendimento”.
Também para Jacques Monier, representante de "Batuque", sociedade promotora do investimento, o Hotel Hilton “vai mudar a imagem” do turismo em Cabo Verde, já que se trata de um empreendimento de "alto padrão", cuja preferência Cabo Verde ainda não oferecia e agora possível com o Hotel Hilton.
"Hotel Hilton no Sal foi um projecto muito ambicioso. Vai movimentar muito dinheiro. Todo o mundo vai ganhar. É um primeiro passo. Com Hilton a qualidade do serviço é uma regra absoluta", garantiu, desejando que outras grandes marcas de hotéis venham também a Cabo Verde.
Gente um pouco de todo mundo testemunhou o acto de lançamento da primeira pedra para a edificação do empreendimento turístico, que terá 218 quartos, 21 suítes, uma suíte presidencial, três restaurantes, centro de negócios, bares, casino e entre outras unidades.
As obras desta unidade hoteleira, orçadas à volta de 46 milhões de euros, serão concluídas num prazo de 21 meses e vão gerar cerca de 190 empregos directos, além de aumentar a capacidade de acolhimento na ilha do Sal.
Fonte: Inforpress

back to top