Metade dos refugiados em Pemba são crianças

Metade dos refugiados em Pemba são crianças

Ao Pavilhão Desportivo de Pemba chegaram cerca de 200 novos refugiados de Palma, o último alvo dos grupos armados radicais no norte de Moçambique, diz reportagem da Euronews.

Segundo a mesma fonte, metade são crianças e muitas perderam a família. Com o apoio do Instituto Camões, de Portugal, uma organização não governamental montou um programa de integração escolar que é para muitos o único espaço de normalidade.
Leandro Martins, coordenador do projeto "Karibu", explica que num primeiro momento tentam "ajudá-los a preencher os documentos de matrícula e com material escolar". Mais tarde, está também previsto apoio para a regularização da documentação das crianças, fornecimento de uniformes e até alimentos.
"Estamos também a começar a fazer alguma formação em apoio psicossocial para a podermos fornecer aos refugiados. Estas crianças estão muito traumatizadas e vemos que isso reflete no seu comportamento mesmo depois de terem estado aqui durante tanto tempo," conta Leandro Martins.
Fonte: Euronews

Metade dos refugiados em Pemba são crianças
Watch the video

Metade dos refugiados em Pemba são crianças

Ao Pavilhão Desportivo de Pemba chegaram cerca de 200 novos refugiados de Palma, o último alvo dos grupos armados radicais no norte de Moçambique, diz reportagem da Euronews.

Segundo a mesma fonte, metade são crianças e muitas perderam a família. Com o apoio do Instituto Camões, de Portugal, uma organização não governamental montou um programa de integração escolar que é para muitos o único espaço de normalidade.
Leandro Martins, coordenador do projeto "Karibu", explica que num primeiro momento tentam "ajudá-los a preencher os documentos de matrícula e com material escolar". Mais tarde, está também previsto apoio para a regularização da documentação das crianças, fornecimento de uniformes e até alimentos.
"Estamos também a começar a fazer alguma formação em apoio psicossocial para a podermos fornecer aos refugiados. Estas crianças estão muito traumatizadas e vemos que isso reflete no seu comportamento mesmo depois de terem estado aqui durante tanto tempo," conta Leandro Martins.
Fonte: Euronews

Últimas Notícias

More Articles