Booking.com

Um presente musical em dia do aniversário de Zerui Depina

Um presente musical em dia do aniversário de Zerui Depina

Neste 11 de Junho, dia em que completa mais um ano de vida, o músico e compositor cabo-verdiano, Zérui DePina, divulgou nas redes sociais o seu novo vídeo clip com a canção inédita “Mi sem Bo”.

Em um dia como hoje, de 1968, na ilha de Santiago nascia um agitador... musical.
Como contou em entrevista à Rádio Televisão Portuguesa (RTP), foi seu tio João Alves "Nhô Djonsinho" a primeira pessoa a pô-lo em contacto com o mundo artístico.
Aos 8 anos, Zé Rui já acompanhava tocadores adultos. Para entretê-lo, Nhô Djonsinho ofereceu-lhe um "reco-reco. Dois anos depois experimentava com o cavaquinho e foi nessa altura que entrou para uma banda local chamada "Sodadi", fazendo várias apresentações em salões de dança locais.
Mais tarde, o seu primo Kim Alves, ensinou-o a tocar violão. Sentindo-se mais confiante nas suas habilidades, Zé Rui fundou a banda "Bem Be Djaz" com os seus amigos Dida, Nenei e a sua prima, Kim.
Aos 16 anos, imigrou para os Estados Unidos, onde se tornou baixista de "Arpa Sound", uma banda formada pelo conhecido vocalista Frank De Pina. Em 1993, juntou-se à banda "Ice", onde gravou "sonho", uma música que ele escreveu e interpretou. Foi com essa música que oficialmente se tornou compositor e cantor.
Pouco depois, Zé Rui fundou sua própria banda, "Netinhos Di Vóvó", uma banda que logo se tornou uma das mais requisitadas das comunidades cabo-verdianas por toda a Nova Inglaterra, local onde residia. Ao longo da sua carreira, atuou com grandes músicos cabo-verdianos como Bana, Tito Paris e Paulino Vieira, bem como com a artista angolana Bonga.
Em 1996, lançou o seu primeiro projeto a solo "E Si Ké Mundu", produzido por Kin Alves. Dois anos depois, Zé Rui seguiu com "Natural", um álbum que confirmou o seu status como um artista multifacetado.
Zerui regressa a Cabo Verde onde fixa residência e é então que surge um outro trabalho, o single "Abrasu". Aí ele intensifica seu ativismo musical
(Com RTP)

Um presente musical em dia do aniversário de Zerui Depina
Watch the video

Um presente musical em dia do aniversário de Zerui Depina

Neste 11 de Junho, dia em que completa mais um ano de vida, o músico e compositor cabo-verdiano, Zérui DePina, divulgou nas redes sociais o seu novo vídeo clip com a canção inédita “Mi sem Bo”.

Em um dia como hoje, de 1968, na ilha de Santiago nascia um agitador... musical.
Como contou em entrevista à Rádio Televisão Portuguesa (RTP), foi seu tio João Alves "Nhô Djonsinho" a primeira pessoa a pô-lo em contacto com o mundo artístico.
Aos 8 anos, Zé Rui já acompanhava tocadores adultos. Para entretê-lo, Nhô Djonsinho ofereceu-lhe um "reco-reco. Dois anos depois experimentava com o cavaquinho e foi nessa altura que entrou para uma banda local chamada "Sodadi", fazendo várias apresentações em salões de dança locais.
Mais tarde, o seu primo Kim Alves, ensinou-o a tocar violão. Sentindo-se mais confiante nas suas habilidades, Zé Rui fundou a banda "Bem Be Djaz" com os seus amigos Dida, Nenei e a sua prima, Kim.
Aos 16 anos, imigrou para os Estados Unidos, onde se tornou baixista de "Arpa Sound", uma banda formada pelo conhecido vocalista Frank De Pina. Em 1993, juntou-se à banda "Ice", onde gravou "sonho", uma música que ele escreveu e interpretou. Foi com essa música que oficialmente se tornou compositor e cantor.
Pouco depois, Zé Rui fundou sua própria banda, "Netinhos Di Vóvó", uma banda que logo se tornou uma das mais requisitadas das comunidades cabo-verdianas por toda a Nova Inglaterra, local onde residia. Ao longo da sua carreira, atuou com grandes músicos cabo-verdianos como Bana, Tito Paris e Paulino Vieira, bem como com a artista angolana Bonga.
Em 1996, lançou o seu primeiro projeto a solo "E Si Ké Mundu", produzido por Kin Alves. Dois anos depois, Zé Rui seguiu com "Natural", um álbum que confirmou o seu status como um artista multifacetado.
Zerui regressa a Cabo Verde onde fixa residência e é então que surge um outro trabalho, o single "Abrasu". Aí ele intensifica seu ativismo musical
(Com RTP)