Booking.com

Ex-chefe da Secreta Militar de Angola em prisão domiciliar

Ex-chefe da Secreta Militar de Angola em prisão domiciliar

O Supremo Tribunal Militar (STM) de Angola aplicou, nesta segunda-feira, a medida de coação pessoal de prisão domiciliar ao ex-chefe do Serviço de Inteligência e Segurança Militar (SISM), general António José Maria.

A notícia avançada pela agência de notícias angolana, Angop, informa ainda que o general deverá aguardar nesta condição os ulteriores trâmites do processo.
A Agência cita uma nota do Supremo Tribunal Militar (STM) segundo a qual, José Maria é indiciado como autor de extravio de documentos, aparelhos ou objectos que contenham informações de carácter militar e insubordinação.
Adianta que o antigo chefe do SISM incorre em ilícitos previstos e puníveis nos termos dos artigos 42 número 01 e 17 número 01, ambos da Lei 04/94, de 28 de Janeiro (Lei dos Crimes Militares).
Ele foi chefe do SISM de 2009 a Novembro de 2017 quando foi exonerado pelo actual presidente de Angola, João Lourenço.
Denúncias contra o ex-chefe de secreta angolana vêm de longa data, quando José Eduardo dos Santos era Chefe de Estado. Em 2013, o site Maka Angola divulgou uma investigação do jornalista Rafael Marques segundo o qual o general José Maria teria uma empresa, a Infonauta, propriedade da própria filha, Nyanga Viandi Tyitapeka , para a prestação de serviços à instituição que dirigia. No primeiro ano de contrato, em 2011, a Infonauta, teria facturado cerca de quatro milhões de dólares.