Booking.com

ONU realça inovação e sustentabilidade em Dia Mundial dos Oceanos

ONU realça inovação e sustentabilidade em Dia Mundial dos Oceanos

As Nações Unidas marcam este 8 de Junho o Dia Mundial dos Oceanos com foco na Inovação para um Oceano Sustentável.

A Rádio ONU destaca uma mensagem do secretário-geral, António Guterres, em que ele sublinha a necessidade de uma actuação pelo fim da pandemia e melhor recuperação, e evoca a existência de uma oportunidade única para corrigir a relação humana com o meio ambiente, incluindo mares e oceanos.
A ONU quer compromisso de governos e todas as partes interessadas com a conservação e a sustentabilidade dos oceano.
Em vídeo, António Guterres lembra a contribuição dos mares para alimentação, busca de meios de subsistência, transporte e comércio. Ele realça ainda que sendo os oceanos os “pulmões” do planeta, e o seu maior meio de absorção de carbono, estes desempenham um papel vital na regulação do clima global.
O apelo feito pelo chefe das Nações Unidas é que governos e todas as partes interessadas se comprometam com a conservação e a sustentabilidade dos oceanos através da inovação e da ciência.
Ouvido pela Rádio ONU, o embaixador de Portugal junto à organização, Francisco Duarte Lopes, falou sobre a Conferência da ONU sobre Oceanos, que teve de ser adiada devido à actual pandemia. Duarte Lopes sublinhou que continua a vontade global de resolver os problemas desse sector: “Portugal e o Quénia comprometeram-se a organizar, em Lisboa, a segunda Conferência das Nações Unidas sobre os Oceanos. Não foi possível realizar neste verão de 2020, mas o nosso compromisso mantém-se. Vamos realizá-la em Lisboa, logo que seja possível, porque a conferência foi adiada, mas os problemas que afectam os oceanos continuam. Seja a significação que destrói os corais, seja o aumento da temperatura das águas dos oceanos, a pesca ilegal, a sobre exploração, dos recursos pesqueiros ou a poluição por plásticos, por poluentes ou a que advém do próprio transporte marítimo. Nosso esforço para melhorar a saúde dos oceanos mantém-se, e mantém-se toda a urgência.”
O evento promoverá uma reflexão sob o tema Reforçar a acção dos oceanos com base na ciência e na inovação para a implementação do ODS14: Avaliação, parcerias e soluções.
Uma das metas da conferência é fazer com que a questão dos oceanos seja entendida pela sua importância em “conservar as reservas de peixes e descobrir novos produtos e medicamentos”.
A organização declarou o período entre 2021 e 2030 como a Década da ONU da Ciência dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável. A meta é mobilizar cientistas, políticos, empresas e sociedade civil para a investigação e inovação.
Fonte: Rádio ONU

ONU realça inovação e sustentabilidade em Dia Mundial dos Oceanos
Watch the video

ONU realça inovação e sustentabilidade em Dia Mundial dos Oceanos

As Nações Unidas marcam este 8 de Junho o Dia Mundial dos Oceanos com foco na Inovação para um Oceano Sustentável.

A Rádio ONU destaca uma mensagem do secretário-geral, António Guterres, em que ele sublinha a necessidade de uma actuação pelo fim da pandemia e melhor recuperação, e evoca a existência de uma oportunidade única para corrigir a relação humana com o meio ambiente, incluindo mares e oceanos.
A ONU quer compromisso de governos e todas as partes interessadas com a conservação e a sustentabilidade dos oceano.
Em vídeo, António Guterres lembra a contribuição dos mares para alimentação, busca de meios de subsistência, transporte e comércio. Ele realça ainda que sendo os oceanos os “pulmões” do planeta, e o seu maior meio de absorção de carbono, estes desempenham um papel vital na regulação do clima global.
O apelo feito pelo chefe das Nações Unidas é que governos e todas as partes interessadas se comprometam com a conservação e a sustentabilidade dos oceanos através da inovação e da ciência.
Ouvido pela Rádio ONU, o embaixador de Portugal junto à organização, Francisco Duarte Lopes, falou sobre a Conferência da ONU sobre Oceanos, que teve de ser adiada devido à actual pandemia. Duarte Lopes sublinhou que continua a vontade global de resolver os problemas desse sector: “Portugal e o Quénia comprometeram-se a organizar, em Lisboa, a segunda Conferência das Nações Unidas sobre os Oceanos. Não foi possível realizar neste verão de 2020, mas o nosso compromisso mantém-se. Vamos realizá-la em Lisboa, logo que seja possível, porque a conferência foi adiada, mas os problemas que afectam os oceanos continuam. Seja a significação que destrói os corais, seja o aumento da temperatura das águas dos oceanos, a pesca ilegal, a sobre exploração, dos recursos pesqueiros ou a poluição por plásticos, por poluentes ou a que advém do próprio transporte marítimo. Nosso esforço para melhorar a saúde dos oceanos mantém-se, e mantém-se toda a urgência.”
O evento promoverá uma reflexão sob o tema Reforçar a acção dos oceanos com base na ciência e na inovação para a implementação do ODS14: Avaliação, parcerias e soluções.
Uma das metas da conferência é fazer com que a questão dos oceanos seja entendida pela sua importância em “conservar as reservas de peixes e descobrir novos produtos e medicamentos”.
A organização declarou o período entre 2021 e 2030 como a Década da ONU da Ciência dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável. A meta é mobilizar cientistas, políticos, empresas e sociedade civil para a investigação e inovação.
Fonte: Rádio ONU

Últimas Notícias

More Articles